Sinergia de saberes

Mestre no reaproveitamento de materiais, o designer holandês Wilbert Das se uniu a artesãos baianos para criar sua linha de móveis sustentáveis

Texto: Raphaela de Campos Mello

Sinergia de saberes | <i>Crédito: Tuca Reines / Divulgação Uxua
Sinergia de saberes | Crédito: Tuca Reines / Divulgação Uxua
Em 2004, Wilbert Das desembarcou em Trancoso, no litoral sul da Bahia. Muito rapidamente se apaixonou pela inventividade da população local – capaz de encontrar soluções criativas para suas necessidades cotidianas. Especialista no reaproveitamento de materiais, ele se uniu a artesãos da terra e agregou ao seu fazer técnicas de manufatura tradicionais, além de matérias-primas da região. O resultado é a linha de móveis Uxua Casa, utilizadas nos projetos residenciais e no encantador hotel & spa de propriedade do designer (uxua.com). Entre as peças estão um lustre feito a partir de um galho de árvore (destaque acima) e uma cabeceira de cama concebida com uma caçamba. A seguir Das conta mais sobre esse casamento entre o design sustentável e o saber do povo.

Que outros designers envolvidos com sustentabilidade inspiram seu trabalho? 

Encontrei inspiração não em outros artistas, mas no caráter que distingue o povo de Trancoso. Na época em que o vilarejo não dispunha de eletricidade e água encanada, os nativos criavam as coisas de que necessitavam. Havia intenso reúso de material, muita criatividade, além de estilo e uma destacada apreciação do belo. 

Como se deu a troca com os artesãos de Trancoso? 

Essa relação é muito bonita. Eu e meus colaboradores agregamos a perspectiva internacional do design, bem como o faro contemporâneo em relação ao que iria agradar os clientes. Já os artesãos locais nos ensinaram técnicas tradicionais e nos apresentaram materiais primários. Pudemos contagiá-los com nossa inquietação pela busca de inovações, respeitando o meio ambiente e a cultura baiana. 

Qual será o próximo passo da sustentabilidade no ramo do design? 

Sinceramente, gostaria de testemunhar uma mudança no ciclo do consumo. Acredito que nos beneficiaríamos se elevássemos a qualidade de muitas das coisas que consumimos. Ao comprarmos itens com maior durabilidade, e não produtos facilmente descartáveis, reduziríamos o uso de recursos naturais e também o desperdício no planeta, a criação de lixo. Nossos objetos artesanais feitos em Trancoso possuem alma e são feitos com materiais maravilhosos, além de receberem grande investimento de tempo e de mãos  humanas. 

Qual é o melhor design (diga-se solução) do mundo? 

A maior realização não seria uma ideia em particular, e sim a conscientização dos consumidores para o fato de que suas escolhas deveriam traduzir o mundo em que gostariam de viver não apenas hoje, mas, sobretudo, amanhã. 

31/01/2017 - 10:26

Conecte-se

Revista Bons Fluidos