Menos ódio nas ruas

Embora aconteça em Berlim, na Alemanha, esta história vale a pena ser contada muitas vezes por ser um incentivo para qualquer cidadão

Texto: Lia Reis

Menos ódio nas ruas | <i>Crédito: Divulgação
Menos ódio nas ruas | Crédito: Divulgação
Irmela Mensah-Schramm é uma respeitável senhora de cabelos brancos que, quando vê uma mensagem de ódio pela capital alemã, principalmente de conteúdo neonazista, não poupa esforços para removê-la. Anda munida de recursos para isso e age sem fazer qualquer alarde. Seja retirando cartazes e adesivos com as próprias mãos ou com a ajuda de uma pazinha, seja usando água e sabão ou, em último caso, quando não é possível apagar o “mal-dito”, anulando-o com um spray pink – sua ferramenta para desenhar corações sobre a mensagem negativa. Aos 70 anos, Irmela comemora 30 anos desse tipo de ativismo do bem. Seu propósito é limpar o ódio estampado por onde quer que passe – além de Berlim, cidade em que vive, muitas vezes viaja para outras regiões do país com a mesma intenção. Já apagou mais de 72 mil mensagens, segundo
consta em seu caderninho de anotações. “Não é com mais ódio que vamos acabar com o ódio”, diz. 


13/07/2017 - 09:57

Conecte-se

Revista Bons Fluidos