Viagens e descobertas: entre a neve e o deserto

O famoso cume dos Andes destaca-se na paisagem que envolve os pueblos do altiplano chileno

Silvia Reali e Heitor Reali

A Conaf (Corporación Nacional Florestal) criou alojamentos rústicos a 4,3 mil metros de altitude | <i>Crédito: iStock
A Conaf (Corporación Nacional Florestal) criou alojamentos rústicos a 4,3 mil metros de altitude | Crédito: iStock

O povo aymará vive em pequenos pueblos que pontilham o altiplano, região localizada entre o deserto do Atacama e os cumes nevados dos Andes, no Chile. Em altitudes superiores a 3,5 mil metros nas comunidades de Isluja, Pariconata, Socatoca e Mauque, os aymarás cultivam seus ritos sagrados e a agricultura, cujas técnicas são baseadas no respeito à Pacha-Mama, a Mãe Terra.
                Para adubar as flores que tanto amam, usam o estrume de lhamas, vicunhas e alpacas. Delas também aproveitam lã, carne e leite. A avizcacha, lebre das montanhas, o nandu, espécie de avestruz, e o flamingo são alguns dos animais que vivem nessa região de vulcões, gêiseres e lagos salgados.
                Nos pueblitos não existem pousadas porque os aymarás têm horror ao lixo deixado por turistas. Para dar abrigo ao visitante e fazer respeitar as regras indígenas, a Conaf (Corporación Nacional Florestal) criou alojamentos rústicos a 4,3 mil metros de altitude. O ambiente é aquecido com estufas alimentados com llaretta, uma espécie de musgo cheiroso.

06/02/2017 - 12:23

Conecte-se

Revista Bons Fluidos