USP faz horta urbana aberta à população

Criada pelos alunos da Faculdade de Saúde Pública, o espaço promove alimentação adequada e saudável e propõe uma reflexão sobre a origem dos alimentos

Lucas Almeida

. Os resultados vão além do simples trabalho manual | <i>Crédito: Marcos Santos/Usp Imagens
. Os resultados vão além do simples trabalho manual | Crédito: Marcos Santos/Usp Imagens

Em meio à movimentação intensa de pessoas e carros, existe um espaço que muitos moradores da cidade de São Paulo desconhecem, mas foi criado para eles. É a horta comunitária da FSP, ali na Av. Dr. Arnaldo.

            A professora Cláudia Maria Bógus, da Faculdade de Saúde Pública, explica que muitos alunos se interessam pelo projeto, mas que poucos participam de forma contínua. A horta comunitária foi criada em 2013, a partir de um edital da Superintendência de Gestão Ambiental (SGA) da USP, para o desenvolvimento da sustentabilidade dentro da Universidade. Cláudia explica que foi uma iniciativa que envolveu professores, funcionários e alunos. Ainda afirma que “a ideia sempre foi usar a horta como uma possibilidade de exploração, para discutir o direito humano a uma alimentação adequada e saudável, além da segurança alimentar e nutricional, nessa perspectiva de saúde pública”.


Benefícios da horta

Os benefícios da agricultura urbana são diversos e ainda estão sendo muito estudados. Os resultados vão além do simples trabalho manual. “Não temos a pretensão de que os alimentos cultivados na horta sejam base de alimentação para as pessoas, nem temos condições para isso. Mas queremos propiciar atividades que façam as pessoas refletir sobre a origem do alimento que consomem, como isso pode ser preparado de uma forma adequada, o modelo de desenvolvimento econômico e o cultivo de produção agrícola que temos”, afirma Cláudia.
           
O projeto ainda enfrenta algumas dificuldades. Há poucas ferramentas e apenas um pequeno regador para todas as plantas. Os materiais ficam em uma casinha a alguns metros da horta, que fica trancada durante o dia. Além disso, é difícil reunir pessoas, sobretudo dos diversos campi da USP, como funcionários, alunos de diferentes cursos e, até mesmo, outros professores. O objetivo para este ano é que seja organizado um mutirão por mês, além de uma atividade como uma oficina ou roda de conversa sobre educação alimentar nutricional, compostagem e sustentabilidade, entre outros temas.

            A professora Cláudia reafirma que o espaço é voltado para toda a comunidade e explica que “a horta é aberta, principalmente para as pessoas que frequentam a Faculdade de Saúde Pública, tanto para participar da atividade ou também para colher alguma coisa que esteja lá”.


Com informações do Jornal da USP. 

07/03/2017 - 15:59

Conecte-se

Revista Bons Fluidos