Qual era seu papel nas brincadeiras?

Puxar na memória as atividades que lhe davam prazer quando criança pode ser a chave para uma mudança ou readequação profissional. Faça o exercício e redescubra aptidões que podem ter ficado lá atrás

Bons Fluidos Digital

Por exemplo, o fato de você brincar de ballet não significa ter de virar um bailarino profissional. | <i>Crédito: iStock
Por exemplo, o fato de você brincar de ballet não significa ter de virar um bailarino profissional. | Crédito: iStock

Nesses jogos e brinquedos, afloravam seus talentos naturais, que, sob a influência da educação escolar, do ambiente familiar e social e das circunstâncias da vida, foram esquecidos.
                Escreva em uma folha de papel as brincadeiras de que mais gostava, detalhando ao máximo as situações e as habilidades envolvidas.  Não precisa lembrar de tudo na hora: deixe o papel à mão e aumente a lista na medida em que os divertimentos voltarem à memória. Não se censure. Por exemplo, o fato de você brincar de ballet não significa ter de virar um bailarino profissional. Situe a diversão num contexto maior. As coreografias, eram em grupo? Você cuidava do figurino? Da trilha sonora? E assim por diante. Cada detalhe pode fornecer indícios para novos e prazerosos caminhos profissionais. 

25/04/2017 - 16:57

Conecte-se

Revista Bons Fluidos