Presença que desperta sentimentos

Pode reparar: basta um raminho de flores aqui e acolá para restaurar o bem-estar. Não há convidado de última hora que não agradeça esse improviso de carinho

Texto: Lia Reis

Presença que desperta sentimentos | <i>Crédito: NordWood Themes / unplash
Presença que desperta sentimentos | Crédito: NordWood Themes / unplash
Aquela chaleira que nossa mãe ou avó usava e que, carinhosamente, pedimos para herdar; a lata do azeite importado que tantas vezes frequentou a mesa e temperou
saudáveis saladas e legumes; ou ainda aquele vidro diferente que compramos num brechó ou adaptamos para um dia usar como parte da decoração da casa. Recipientes que nos serviram em outros momentos e insistimos em deixar por perto são algumas das alternativas para receber pequenos arranjos de flores e ramos capazes de
alegrar o ambiente e tornar nosso dia a dia mais leve.

Ainda mais se o momento pede uma comemoração, por mais singela que seja. Encontro especial que se preze merece ser adornado, e que jeito mais lindo de demonstrar a beleza do afeto do que em um arranjo? Nem precisa ser craque em ikebana, a arte japonesa que torna qualquer galhinho, folha ou flor um primor. Inspire-se apenas no
coração e deixe o pensamento buscar a melhor combinação.

Barbantes, fitas e arames completam a delicadeza de conjuntos que podem ser posicionados no quintal e na varanda como se caíssem do céu.

Arrancam suspiros também pendendo de um suporte na sala, na cozinha, ou mesmo no corredor ou surpreendentemente colocados na porta – Afrodite, a deusa
do amor e da beleza, se sente evocada com a presença de beleza nos lugares mais inusitados.

E não importa a metragem do lar. Seja ele pequeno ou grande, esse toque de natureza ao alcance da mão e dos olhos sempre cabe. Para complementar a paisagem,
divirta-se fazendo uma composição das cores dos vidros ou outros recipientes com as das próprias flores e ramos, paredes, móveis e outros locais onde suas pequenas criações serão alocadas. Tudo ao seu gosto, sem regras ou padrões predefinidos.

Vivemos em uma época em que menos é mais, e reciclar, uma prova de inteligência. Por isso, nada mais natural do que acomodar nossos arranjos em pequenos vasos sem destino, vidros de perfume já vazios ou xícaras e copos sem vocação para bebidas. Esses objetos podem muito bem encontrar missão acolhendo suculentas e mini-arranjos de flores, folhas e galhos. Em São Paulo, a floricultura A Bela do Dia, que defende o manifesto “flor todos os dias”, de segunda a domingo, tem um modelo de arranjo fácil de reproduzir em casa. Reúne graciosos vidrinhos nos tamanhos P, M e G dentro de uma caixa de madeira. Simples, delicado e com um efeito maravilhoso.


04/05/2017 - 11:10

Conecte-se

Revista Bons Fluidos