Santa Teresa de Ávila, um ícone no cristianismo

A freira espanhola foi a primeira mulher a receber o título de doutora da Igreja Católica; toda segunda, um líder espiritual pra você se inspirar

Bons Fluidos Digital

Viveu a adolescência de forma frívola e inconsequente até que, aos 16 anos, o pai a colocou sob os cuidados das freiras agostinianas | <i>Crédito: Reprodução
Viveu a adolescência de forma frívola e inconsequente até que, aos 16 anos, o pai a colocou sob os cuidados das freiras agostinianas | Crédito: Reprodução

Teresa de Cepeda e Ahumada, freira carmelita espanhola, foi uma das mulheres mais atuantes na história do cristianismo. Por seu profundo conhecimento teológico, tornou-se a primeira mulher a receber o título de doutora da Igreja (atribuído postumamente a escritores eclesiásticos que se destacaram pela santidade e qualidade de sua ciência), em 1970. Nasceu em Ávila, em 28 de março de 1515. Viveu a adolescência de forma frívola e inconsequente até que, aos 16 anos, o pai a colocou sob os cuidados das freiras agostinianas da cidade. Ali, acometida pelos primeiros sintomas da doença que a fragilizou durante toda a vida, Teresa manifestou o desejo de tomar o hábito e servir a Deus. Diante da oposição do pai, aos 20 anos fugiu de casa e entrou para o convento carmelita de sua cidade, onde permaneceu por muitos anos.
   Insatisfeita com o cotidiano mundano do convento, Teresa quis se dedicar a uma vida ainda mais simples e austera. Em 1562, aos 47 anos, fundou a Congregação das Carmelitas Descalças, retomando as rígidas regras da ordem. Nos anos que se seguiram, Teresa quis estender sua reforma pela Espanha, fundando outros mosteiros de frades e monjas. Por isso, sofreu severa oposição e teve, inclusive, que abandonar seu convento. Em seus escritos, como o Livro da Vida, o Caminho da Perfeição e o Castelo Interior, ou Livro das Sete Moradas, Teresa descreveu não apenas sua epopéia em defesa de seus ideais mas também as experiências místicas que viveu ao longo de sua movimentada vida. A freira morreu no dia 4 de outubro de 1582 e foi canonizada em 1622. Seu dia festivo é comemorado em 15 de outubro.

PARA SABER MAIS

LIVROS

Teresa de Ávila ou o Divino Prazer, de Elisabeth Reynaud

Contemplando o Mundo e o Céu com Santa Teresa, de Patricio Sciadini e Frei Sandro Grimani

12/05/2017 - 20:11

Conecte-se

Revista Bons Fluidos