Convite à plenitude

Na Lua Cheia de Touro, alma e personalidade se alinham. É quando as vidas interior e exterior se harmonizam, favorecendo grandes realizações

Texto: Oscar Quiroga

Oscar Quiroga | <i>Crédito: Claus Lehmann
Oscar Quiroga | Crédito: Claus Lehmann
Num período de 368 dias, o céu é brindado com 13 Luas Cheias. Por isso, pode-se afirmar que um ano solar de 12 meses equivale a 13 meses lunares. Impossível não notar esse espetáculo luminoso – e também deixar de sentir suas reverberações em nosso íntimo. Já reparou que nos dias que antecedem a Lua Cheia é comum ficarmos mais inquietos e com o humor alterado, como se pressentíssemos algo importante em andamento, mas sem ter ideia do que seria? É que durante esse período acontece no céu o que aqui na Terra é destino de todo ser humano: coordenar as vidas interior e exterior, ou seja, a vida da alma subjetiva com a da personalidade objetiva, para que nossas obras sejam perfeitas e nossa jornada, plena.

Nas noites de céu claro, lembre-se que o Sol, razão de ser de nossa existência, está perfeitamente alinhado com a Lua, o reflexo dessa razão de ser. Aqui na Terra, contudo, é humanamente impossível alcançar tal equilíbrio, pelo menos, uma vez ao mês. Por outro lado, a alteração do estado de ânimo que experimentamos às vésperas da fase cheia da Lua denuncia que, no fundo, reconhecemos o que precisamos fazer para atingir a autorrealização.

Para ser plena, a existência precisa que nossa imaginação, a vida interior, encontre em nossas ações, a vida exterior, canais perfeitos de expressão. Na prática, porém, imaginamos mais do que fazemos, ou pior, nossas ações estão muito distantes de serem o fiel reflexo do que imaginamos. Mas há esperança! E ela se renova a cada Lua Cheia, que nos brinda com a oportunidade de sincronizarmos o dentro e o fora, nem que seja para errar, pois, pelo menos, de cada erro cometido obteremos a oportunidade de nos aprimorarmos no futuro.

A Lua Cheia de Touro é ainda mais peculiar, pois, além de respaldar a mesma sincronização de todos os meses entre Sol, Terra e Lua, agrega as estrelas da constelação das Plêiades, tidas nas tradições astrológicas como o centro ao redor do qual nosso sistema solar orbita junto com outros. Na prática, isso significa que, durante esse período, não só nossa alma e nossa personalidade encontram a chance de se afinarem como também temos acesso a uma referência maior de harmonização: a do espírito.

Quando a personalidade, a alma e o espírito estão em perfeito balanço e se expressam com plenitude, a obra do ser humano chega ao seu ápice. Não por acaso
essa Lua Cheia é festejada no budismo e venerada por outras correntes religiosas orientais. Tampouco é mera coincidência que a Lua, na astrologia, seja associada à
mãe. Afinal, é no corpo feminino que ocorre a magia de uma alma subjetiva se vincular a um corpo objetivo e um novo ser humano nascer entre o Céu e a Terra.

A Lua Cheia de Touro acontecerá no dia 10 de maio de 2017, às 18h42, horário de Brasília. Reservar um momento para orar ou meditar sobre a vida será, com
certeza, bastante auspicioso.

05/05/2017 - 10:31

Conecte-se

Revista Bons Fluidos