A moda gira

Ela criou um modelo de negócio inovador que já fez circular mais de 5 toneladas de sobras de tecidos. E as marcas qua as usam têm orgulho de comprovar a origem de sua matéria-prima

Texto: Giuliana Capello

Lu Bueno | <i>Crédito: Tiago Drummond
Lu Bueno | Crédito: Tiago Drummond
LU BUENO, cenógrafa e figurinista de teatro, guardou durante quase 30 anos restos de tecidos de seus trabalhos porque não queria que fossem parar no lixo. Em 2015, com quase 1 tonelada de pano em casa, teve uma ideia inusitada: resolveu criar o Banco de Tecido, em São Paulo. Daí já são duas lojas, e agora está abrindo outra, em Florianópolis.

1: A quem se destina o Banco de Tecido que você criou?

A costureiras, estilistas, artesãos, profissionais de artes cênicas... A ideia é evitar estoques que ficam esquecidos por anos, ocupando espaço. Ao colocarmos esse material
para girar na cadeia produtiva, todos têm acesso a novos tecidos, sem a geração de mais custos ambientais. Tecido bom dura, e não estamos falando de resíduos, mas de sobras que têm plenas condições de serem usadas em novas coleções de produtos.

2: Como funciona?

Aceitamos todo tipo de tecido, exceto os mofados ou apodrecidos e as aparas. Aceitamos doações, compras e trocas, feitas por correntistas que depositam peças e recebem
créditos para retirar outros tecidos, na base de R$ 45 o quilo de qualquer tecido do acervo. As lojas têm resíduo zero: aqueles com pouco interesse são destinados a ONGs
de capacitação têxtil e os muito pequenos vão para uma trituradora que transforma as fibras em cobertores populares, por exemplo.

3: Por que um selo de origem?

Nosso acervo inteiro leva o selo “Tecido de Reúso para Uso”. Isso importa na medida em que mais de 10% de toda a produção têxtil mundial acaba no lixo, levando anos para se decompor (especialmente os tecidos com fibras sintéticas) e poluindo o meio ambiente. O reúso permite diminuir esses números e torna toda a cadeia da moda mais sustentável, além de oferecer um diferencial às marcas pequenas e iniciantes que querem se destacar no mercado. Esse é o motivo do orgulho.

28/06/2017 - 09:00

Conecte-se

Revista Bons Fluidos