Pastora muda suas crenças e fica ao lado de filha trans

Kimberly Shappley deixou de lado tudo que tinha aprendido e abandonou preconceitos para lutar pelos direitos da filha

Letícia Gerola

Leitora assídua da Bíblia, Kimberly encontrou conforto em algumas passagens do livro sagrado | <i>Crédito: Reprodução
Leitora assídua da Bíblia, Kimberly encontrou conforto em algumas passagens do livro sagrado | Crédito: Reprodução

Kai, de cinco anos, tinha tudo para ser mais uma transgênera sem o apoio familiar necessário. Sua mãe, Kimberley Shappley, pastora cristã, seguia os preceitos religiosos que não reconhecem os direitos trans. Mas a pastora teve uma atitude inusitada: quando descobriu que a gartoa era transexual, ficou ao lado da filha. Kimberly entendeu que não existia pecado em apenas deixar sua filha ser quem ela é - a mãe inclusive batalhou para que Kai pudesse usar o banheiro feminino na escola onde estuda, no Texas, Estados Unidos.
  Declarado em 2016, o ex-presidente Barack Obama definiu que todas as escolas públicas dos Estados Unidos deveriam permitir que seus alunos transgêneros usassem os banheiros de acordo com a identidade sexual de cada um. Mesmo assim, a escola negou o acesso da garota ao banheiro feminino.
  Leitora assídua da Bíblia, Kimberly encontrou conforto em algumas passagens do livro sagrado. Entendeu, por exemplo, que quando os fariseus usavam as escrituras para justificar o ataque ou julgar as pessoas, Jesus pedia que olhassem as palavras através de uma lente diferente. A pastora encontrou seu caminho para um novo tipo de cristianismo, um que se centrou em torno do amor e a ideia de que sua filha foi maravilhosamente feita.

25/04/2017 - 17:46

Conecte-se

Revista Bons Fluidos