A pureza das argilas para tratamentos de pele

A boa argila deve ser retirada distante dos centros urbanos, a 2 metros de profundidade! Conheça os diferentes tipos e seus benefícios

Bons Fluidos Digital

Associados à fitoterapia, os benefícios da argila podem ser potencializados | <i>Crédito: iStock
Associados à fitoterapia, os benefícios da argila podem ser potencializados | Crédito: iStock

 A argila tem diferentes cores. A branca tem mais alumínio e as mais escuras, encontras à beira-mar, uma grande concentração de iodo. Há, ainda, a argila verde, rica em ferro.
                Porém a qualidade não é determinada pela cor, mas pela pureza. Na antiguidade, a substância era manuseada apenas por virgens, que subiam ao alto das montanhas para ter certeza de que estavam coletando o mais puro material. E até hoje essa busca continua valendo: “a boa argila deve ser retirada de áreas distantes dos centros urbanos e a não menos de 2m de profundidade”, diz a cosmetóloga Maria Amelia Ramos (RJ).
                É preciso escolher a empresa de cosméticos de quem você vai comprar os produtos. A retirada da argila tem que ser feita em quantidade suficiente para fazer os produtos e não prejudicar a natureza, pois a terra precisa se refazer.
                Associados à fitoterapia, os benefícios da argila podem ser potencializados. A cosmétologa costuma misturar a argila a óleos naturais extraídos das sementes de andiroba e copaíba (árvores da Amazônia), ricas e vitaminas A e E, com poder anti-inflamatório, anti-séptico, calmante e clareador de manchas superficiais da pele.  
                

10/07/2017 - 15:46

Conecte-se

Revista Bons Fluidos